Partido pró-curdo se oferece para mediar entre PKK e Alemanha por reféns

Ancara, 11 jul (EFE) - O pró-curdo Partido da Sociedade Democrática (DTP), com 20 assentos no Parlamento de Ancara, se ofereceu hoje para ser o mediador entre o Governo alemão e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que mantém seqüestrados três escaladores germânicos. Os três homens foram seqüestrados esta semana por um comando do PKK no monte Ararat, no extremo leste da Turquia. Kamuran Yuksek, subchefe do DTP, disse hoje à Agência Efe em Ancara que, se as partes pedirem, a legenda poderia mediar para conseguir a libertação dos seqüestrados. Na quinta-feira, o PKK anunciou que só libertará os alpinistas se o Governo alemão se comprometer a deixar de perseguir os seguidores da organização na Alemanha. Não temos intenções de atuar por conta própria, mas se nos pedirem, vamos fazer o que pudermos para assegurar a libertação dos alemães, disse Yuksek. No ano passado, o DTP fez a mediação na libertação de oito soldados turcos seqüestrados pelo PKK, embora depois tenha sido acusado de ter relações com o grupo ilegal, considerado terrorista tanto pela Turquia quanto pela União Européia (UE). Segundo a imprensa alemã, o seqüestro teria sido cometido como resposta à recente proibição de uma rede de televisão curda na Alemanha. Em maio, o Ministério do Interior proibiu as emissões na Alemanha da Roj TV, uma cadeia que transmite da Dinamarca, com o argumento de que suas idéias são afins ao PKK. Após o seqüestro de três alpinistas alemãe...

EFE |

EFE dt/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG