Partido no poder apresenta defesa para não ser declarado ilegal

O partido que governa a Turquia apresenta nesta quinta-feira a defesa à Corte Constitucional para evitar ser declarado ilegal por violação dos princípios laicos da República.

AFP |

O vice-premier e porta-voz do governo, Cemil Cicek,e o vice-líder da bancada legislativa do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, islamita moderado), Bekir Bozdag, chegaram na manhã desta quinta-feira ao tribunal para defender os argumentos apresentados por escrito aos 11 juízes da Corte.

A audiência acontece a portas fechadas.

O procurador da Corte de Cassação, Abdurrahman Yalcinkaya, apresentou na terça-feira as alegações contra o AKP, acusado de ser um "foco de atividades contrárias ao laicismo".

Ele pede que o partido seja declarado ilegal. Além disso, pede a proibição do exercício de qualquer atividade partidária por um período de cinco anos para 71 políticos, incluindo o premier Recep Tayyip Erdogan e o presidente Abdullah Gul.

Os analistas consideram grandes as chances do AKP ser vetado, depois que a Corte anulou uma emenda constitucional do governo que autorizava o uso do véu islâmico nas universidades, uma medida rejeitada pelo segmento a favor do laicismo.

ba/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG