Partido governista vence eleições legislativas em Angola

Luanda, 10 set (EFE) - A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) divulgou hoje os últimos resultados parciais das legislativas angolanas realizadas na sexta-feira passada, os quais confirmam a vitória do governista Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) com 81,76% dos votos emitidos. Segundo a CNE, o MPLA recebeu 4.520.

EFE |

453 votos, contra 572.523 da União Nacional para a Independência Total de Angola (Unita), que correspondem a 10,36% e colocam o principal partido opositor em segundo lugar na preferência do eleitorado angolano.

A direção da Unita, que denunciou os graves erros de organização do pleito, que obrigaram ao estabelecimento de um segundo dia de votação, em 6 de setembro, em 320 colégios eleitorais, e impugnou depois o resultado, aceitou nesta quarta-feira a vitória do MPLA.

Em terceiro lugar ficou o Partido de Renovação Social (PRS), com 173.546 votos, que representam 3,14% do total.

A CNE está fazendo a apuração dos votos depositados em urnas especiais e analisa os sufrágios impugnados por alguns dos dez partidos e quatro coalizões políticas que participaram deste pleito - os segundos realizados em Angola após a independência do país -, antes de divulgar os resultados finais.

A esmagadora maioria do MPLA nestas eleições garantirá ao partido no Governo pelo menos 170 das 220 cadeiras da Assembléia Nacional, o que abrirá o caminho para impulsionar uma reforma constitucional que, segundo os críticos, fortalecerá até mais a Presidência em detrimento das demais instituições do Estado.

No entanto, o Birô Político do MPLA emitiu hoje um comunicado através do qual tenta minimizar a importância desses temores e afirma que garante "a materialização de todas as propostas que visem a melhorar as condições de vida do povo angolano e o relançamento do país rumo a um desenvolvimento sustentado".

"No marco da legalidade democrática, o MPLA continuará respeitando o direito a oposição e promoverá a liberdade de expressão e opinião, com a firme convicção de que a democracia deve ser reforçada e a unidade dos angolanos preservada", segundo o comunicado assinado pelo vice-presidente António Pitra Neto.

O resultado das eleições legislativas representa um forte apoio para o Governo do presidente angolano José Eduardo dos Santos, cujo partido ocupa o poder desde a independência de Angola de Portugal, em 1975, e que anunciou a realização de eleições presidenciais no país em 2009. EFE ms/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG