Partido governista aceita renúncia de líder de estado indiano

Mumbai (Índia), 3 dez (EFE) - O Partido do Congresso, que governa a Índia, aceitou hoje a renúncia do primeiro-ministro do estado de Maharashtra, Vilasrao Deshmukh, que tinha apresentado o pedido na última segunda-feira após os ataques terroristas contra Mumbai, a capital estadual e a principal sede financeira do país. Ainda não foi revelado quem sucederá Deshmukh, já que um dos motivos da demora do Partido do Congresso para dar este passo é que não conseguia achar uma figura adequada ao cargo. Dois membros da direção do Partido do Congresso viajarão nesta quinta-feira a Mumbai para avaliar a situação e decidir o substituto do ex-líder, informou a agência indiana PTI. Deshmukh foi alvo de uma polêmica por ter ido ao hotel Taj Mahal, um dos pontos atacados pelos terroristas, em companhia do diretor de cinema Ram Gopal Verma e de seu filho, dois dias após o fim dos ataques, que deixaram 188 mortos. Em um protesto realizado hoje nos limites do Taj Mahal, cidadãos mostravam cartazes que condenavam a atitude de Deshmukh. O anúncio de renúncia de Deshmukh aconteceu ao mesmo tempo que o do vice-primeiro-ministro, R.R.

EFE |

Patil, que disse sentir-se "responsável" pelo massacre terrorista.

No entanto, a primeira vítima política dos atentados foi o ministro de Interior indiano, Shivraj Patil, que abandonou o cargo no dia seguinte ao fim das operações das forças de segurança contra o comando terrorista. EFE amp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG