Partido francês anti-imigração vende sede a chineses

A Frente Nacional, partido francês de extrema direita defensor de políticas anti-imigração, vendeu sua sede a uma universidade chinesa. O partido confirmou a informação à BBC Brasil, mas não deu mais detalhes da transação.

BBC Brasil |

Segundo fontes ouvidas pelo jornal francês L'Express, a sede do partido, situada em um subúrbio de Paris, teria sido vendida a uma universidade de Shangai por algo em torno de 12 ou 15 milhões de euros (cerca de R$ 36 milhões).

Antes de vender a própria sede, o partido já havia se desfeito de um veículo blindado pelo site Ebay. Em julho, desacordos com um de seus principais credores levaram ao congelamento de algumas de suas contas bancárias.

Em entrevista ao diário, o líder e fundador do partido, Jean-Marie Le Pen, disse que os novos donos pretendem transformar o prédio em um centro de cursos da língua francesa.

O edifício, apelidado de Paquebot (Navio a vapor, em tradução literal), havia sido doado a Le Pen por um milionário na década de 70.

O partido havia posto a sede à venda há um ano, desde que começou a enfrentar sérias dificuldades financeiras desencadeadas pelo magro resultado dos candidatos nas eleições legislativas de 2007.

Mais de dois terços de seus candidatos (300) não receberam o mínimo de votos estabelecidos para entrar com pedido de reembolso no governo para cobrir os gastos com a campanha.

Le Pen, que se candidatou a presidente no ano passado, foi derrotado no primeiro turno, tendo chegado em quarto lugar com apenas 10% dos votos.

Em 2002, o candidato, que tem como lema "A França para os franceses" surpreendeu ao chegar ao segundo turno das eleições, mas acabou derrotado por Jacques Chirac.

    Leia tudo sobre: frança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG