Johanesburgo, 22 set (EFE).- A liderança do governista Congresso Nacional Africano (CNA) escolheu hoje seu vice-presidente, Kgalema Motlanthe, como candidato a ocupar temporariamente a Chefia de Estado da África do Sul após a renúncia anunciada na noite do último domingo pelo presidente Thabo Mbeki, informam fontes do partido.

Pouco depois, o Parlamento realizou uma sessão na qual ficou decidido que o plenário se reunirá na próxima quinta para efetuar a substituição formal de Mbeki.

O presidente do CNA, Jacob Zuma, declarou aos jornalistas que Motlanthe foi escolhido pelo partido, mas reiterou que o anúncio oficial será realizado quando o Parlamento se reunir, quando provavelmente o elegerá para dirigir o país até as próximas eleições gerais, previstas para abril de 2009.

Segundo Zuma, o CNA, com maioria folgada no Parlamento, e o Legislativo têm a intenção de fazer a transição o mais rápido possível, porém não anunciou uma data concreta para a substituição de Mbeki.

Motlanthe foi secretário-geral do CNA de 1997 a 2007, quando foi eleito vice-presidente do partido, além de ter participado da luta contra o regime segregacionista do apartheid.

A renúncia de Mbeki pode criar problemas na África do Sul, pois boa parte de seus ministros poderiam seguir sua atitude e renunciar, enquanto uma ala do CNA poderia se separar do partido e criar uma nova legenda para concorrer nas eleições de 2009, segundo a imprensa local.

Além disso, os investimentos nacionais e estrangeiros poderiam ser afetados, já que Mbeki tinha a confiança de empresários, que não vêem com bons olhos a ala mais esquerdista do CNA, liderada por Zuma e maioria dentro do partido. EFE cho/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.