Partido de Mugabe exige nova recontagem de votos no Zimbábue

O partido do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, tentava se prender este domingo ao poder com a exigência de uma recontagem de votos, rejeitada pela oposição, afirmando que o homem que governa o país há 28 anos foi derrotado nas eleições de 29 de março.

AFP |

Um jornal estatal anunciou que a União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (ZANU-PF) havia pedido à Comissão Eleitoral uma recontagem dos votos das eleições do final de semana passado.

O Movimento pela Mudança Democrática (MCD), de oposição, classificou imediatamente de "ilegal" essa exigência.

"É ilegal, é irrealizável pedir uma nova contagem", declarou à AFP o porta-voz do MDC, Nelson Chamisa.

"Só se pode pedir uma nova recontagem 48 horas depois da primeira e, de acordo com informações que obtivemos, a recontagem foi realizada no domingo (30 de março) e uma nova contagem teria que ter sido exigida na terça-feira", explicou Chamisa.

O candidato do MDC, Morgan Tsvangirai, afirmou no sábado que obteve uma clara vitória e pediu que Mugabe inicie negociações para uma "transição pacífica".

A Comissão Eleitoral não divulgou até agora um resultado oficial das eleições presidenciais, realizadas há oito dias em meio a eleições gerais.

A Comissão já anunciou que o partido de Mugabe perdeu pela primeira vez sua maioria na Câmara dos Deputados, mas o ZANU-PF anunciou no sábado sua intenção de questionar essa derrota no tribunal eleitoral, alegando irregularidades em diversas

circunscrições.

Neste domingo, o partido governista questionou também as eleições presidenciais.

"O ZANU-PF pediu à Comissão Eleitoral do Zimbábue (ZEC) a verificação de todo o material eleitoral da eleição presidencial da semana passada porque foram detectados erros e cálculos errôneos na apuração dos resultados", afirmou o porta-voz do governo.

Devido a estas anormalidades, "o partido pediu à Comissão o adiamento do anúncio do resultado da eleição presidencial".

Anteriormente, a imprensa oficial havia afirmado que Mugabe se preparava para enfrentar um segundo turno, embora Tsvangirai tenha afirmado que não seria necessário, porque obteve mais da metade dos votos.

bur-co/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG