Partido de favorito em eleição espanhola propõe nacionalidade por serviço militar

Mariano Rajoy, do PP, promete conceder nacionalidade a cidadãos hispano-americanos que servirem no Exército por dois anos

iG São Paulo |

O Partido Popular (PP) de Mariano Rajoy, favorito nas eleições da Espanha marcadas para novembro, apresentou nesta terça-feira uma proposta que concede nacionalidade espanhola a cidadãos de países hispano-americanos que cumprirem dois anos de serviço militar no país.

Esta é uma das sete propostas sobre defesa e segurança que o PP apresentou como parte de seu programa eleitoral. Desde julho de 2002 o Exército espanhol admite homens de outras nacionalidades em suas tropas, embora só vindos de países ibero-americanos de língua hispânica e da Guiné Equatorial.

Atualmente, 5.082 estrangeiros fazem parte das Forças Armadas espanholas, a maior parte colombianos e equatorianos, número que representa 6,56% do total do contingente e marinha profissional, conforme os dados do Ministério da Defesa.

Reuters
Mariano Rajoy é visto durante debate em televisões em lojas de eletrônicos em Málaga, na Espanha (07/11)

Segundo duas pesquisas de intenção de voto, o PP, partido de oposição, tem vantagem de 17 pontos sobre o PSOE (socialistas). Levantamentos também apontaram que Rajoy foi o vencedor de um debate na noite de segunda-feira com o candidato do PSOE, Alfredo Pérez Rucalba.

Na pesquisa publicada pelo jornal El Mundo, Rajoy foi apontado vencedor por pouco mais da metade dos entrevistados. Na do El País, o conservador apareceu com 46% da preferência, contra 41% do socialista.

O desemprego de 21,5% e a crise na zona do euro marcaram o debate entre Rajoy e Rubalcaba, que acusou seu rival de ser uma ameaça ao Estado de bem-estar social. Rajoy criticou o comando econômico do atual governo, mas não explicou como pretende reduzir o desemprego e o déficit público.

"Se o senhor disser às pessoas os planos que tem na sua cabeça, nem mesmo os membros do seu partido irão votar no senhor", disse Rubalcaba, acusando Rajoy de não detalhar os cortes orçamentários que pretende realizar.

No debate, visto por 12 milhões de pessoas, Rajoy prometeu não congelar as pensões, mas não explicou onde fará cortes.

Rubalcaba, ex-ministro do Interior, disse que, se for eleito premiê, será cauteloso nos cortes de gastos e buscará formas de estimular a economia taxando os ricos. Mas ele teve dificuldades para se diferenciar do impopular primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero, de cujo governo participou por sete anos.

"Há cinco milhões de espanhóis que querem trabalhar e não podem", repetiu Rajoy várias vezes no debate. O desemprego na Espanha é o maior da União Europeia.

O debate não incluiu candidatos de partidos menores, como o Esquerda Unida. O formato, sem perguntas do moderador, o conhecido jornalista Manuel Campo Vidal, deixou pouco espaço para surpresas.

Com EFE e Reuters

    Leia tudo sobre: espanhaeleiçãorajoyrucalba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG