Partido de ex-presidente haitiano reivindica direito de boicotar eleições

Porto Príncipe, 19 jun (EFE).- O partido Família Lavalas do ex-presidente do Haiti Jean Bertrand Aristide rejeitou hoje o pedido do Conselho Eleitoral Provisório (CEP) ao Ministério Público para que atue contra um membro do partido que pediu o boicote das eleições parciais ao Senado deste domingo.

EFE |

"Surpreendeu-me" essa decisão do CEP, declarou a jornalistas o senador desta formação Rudy Heriveaux, que se perguntou "com que direito se pode pedir a detenção de um cidadão que somente cumpriu seu dever cívico".

Os candidatos a senadores do Família Lavalas foram excluídos pelo CEP das eleições ao descumprir os requisitos da lei eleitoral para a apresentação de candidatos.

Em carta dirigida ao comissário do Governo de Porto Príncipe (procurador), o presidente de CEP, Frantz Gérard S. Verret, pediu à justiça que busque Ansyto Félix, que, em nome do partido Família Lavalas, proclamou esta semana uma operação de boicote ao segundo turno das eleições. EFE gp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG