Partido de Calderón escolhe mulher como candidata presidencial

Josefina Vázquez Mota, que busca ser a primeira presidenta do México, enfrenta tarefa de reverter favoritismo da oposição

Reuters |

A deputada Josefina Vázquez Mota, que busca ser a primeira presidenta do México, foi eleita a candidata presidencial do partido governista, o Ação Nacional (PAN), para as eleições de julho e, desde já, enfrenta a tarefa de reverter as tendências de voto que favorecem a sigla opositora, o Partido Revolucionário Institucional (PRI).

Leia também: Calderón defende resposta militarizada à guerra contra narcotráfico

Reuters
Josefina Vazquez acena depois de ter vencido a primária para ser a candidata governista à presidência no México

Ex-líder da bancada governista na Câmara dos Deputados, Josefina obteve 55 por cento dos votos enquanto o ex-secretário da Fazenda Ernesto Cordero, um colaborador próximo do presidente Felipe Calderón, recebeu 38 por cento depois da contagem de 87 por cento das mesas de votação, afirmou o partido.

Essa quantidade de votos dá a Josefina uma vitória contundente, sem necessidade de segundo turno no partido.

"Esse resultado parece que é claro pela porcentagem computada. Vejo que a tendência será irreversível", afirmou em uma coletiva de imprensa o chefe da Comissão Nacional de Eleições do PAN, José Espina.

Cordero, visto por analistas como o preferido de Calderón, parabenizou Josefina e lhe desejou sorte, em sua conta no Twitter.

O partido governista do México rema contra a corrente rumo às eleições presidenciais, já que as pesquisas apontam grande vantagem para o candidato Enrique Peña Nieto, do PRI.

    Leia tudo sobre: méxicoeleição no méxicojosefinacalderón

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG