Partido de Berlusconi lidera no Senado; PDL também deve vencer na Câmara

Roma, 14 abr (EFE).- Apurados 71% dos votos, a lista conservadora liderada pelo ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, do partido Povo da Liberdade (PDL), tem uma vantagem de 7,9 pontos sobre o progressista Walter Veltroni, do Partido Democrata (PD), na disputa pelas cadeiras do Senado, informou hoje o Ministério do Interior da Itália.

EFE |

Segundo os números apresentados, o PDL, que se aliou à Liga Norte e ao Autonomia Sul (AS), se confirma como a legenda mais votada na câmara alta, com o apoio de 46,6% dos eleitores.

Já o PD, que se uniu à Itália dos Valores (IdV), do juiz aposentado Antonio Di Pietro, contabiliza 38,7% dos votos.

Atrás, aparecem a União de Centro (UC), de Pierferdinando Casini, com 5,6% dos votos, e a Esquerda-Arco-Íris (EA), do comunista Fausto Bertinotti, com 3,2%.

Levando em conta o que estabelece a lei eleitoral para o Senado, caso esses números se mantenham, a UC e a EA não elegeriam nenhum senador, já que não atingiram o limite mínimo de votos exigido, de 8%.

Na Câmara dos Deputados, a lista de Berlusconi também deve alcançar a maioria absoluta, segundo a primeira projeção do Instituto Consortium para a TV estatal, a "RAI".

De acordo com as pesquisas, o PDL vai eleger 340 deputados, enquanto o PD terá 241 assentos.

Ainda segundo as projeções, as 49 cadeiras restantes, das quais 12 vão ser ocupadas por italianos que vivem no exterior, irão para a UC.

Em relação às porcentagens, o Instituto Consortium dá sete pontos de vantagem ao Povo da Liberdade (45,9%) sobre o Partido Democrata (38,9%).

Já a UC aparece com 5,5% dos votos, enquanto a Esquerda-Arco-Íris, com 3,5% do apoio dos eleitores, ficará de fora da câmara baixa pela primeira vez na história, já que precisaria de, no mínimo, 4% dos votos. EFE JL/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG