Partido de Berlusconi é favorito nas eleições europeias na Itália

Roma, 6 jun (EFE).- O Povo da Liberdade (PDL), partido do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, desponta como o favorito nas eleições para o Parlamento Europeu na Itália, nas quais os italianos escolhem hoje 72 deputados.

EFE |

As urnas serão abertas às 15h locais (10h de Brasília) e fechadas às 22h (17h de Brasília), e voltam a abrir amanhã durante o dia todo, em uma convocação eleitoral na qual os italianos também elegerão seus representantes em Prefeituras e administrações provinciais de parte do país.

Segundo as pesquisas, o PDL obterá ao redor de 40% dos votos, o que daria à legenda uma vitória arrasadora.

Berlusconi, que se apresenta como cabeça de lista de seu partido no pleito europeu, assegurou ontem em um programa de televisão que espera conseguir entre 40% e 45% dos votos, algo que, segundo ele, faria com que seu partido fosse o de maior peso de todo o Parlamento Europeu.

O primeiro-ministro italiano também afirmou que, se seu partido obtiver os resultados que espera, será capaz de nomear o próximo presidente da câmara europeia.

A figura de Berlusconi dominou toda a campanha eleitoral italiana, que ontem se viu sacudida pela publicação no jornal espanhol "El País" de várias fotos que mostram hóspedes da mansão do governante na ilha da Sardenha completamente nus ou com pouca roupa.

O ex-primeiro-ministro tcheco Mirek Topolanek reconheceu hoje que aparece nas fotos, mas declarou que se trata de uma montagem.

Berlusconi mantém grandes expectativas nestas eleições apesar do escândalo relacionado a essas fotos e a outros assuntos, como sua suposta relação com uma jovem napolitana de 18 anos, o que desencadeou o pedido de divórcio de sua mulher, Veronica Lario.

Além do crescimento do PDL, que aparece com mais vantagem nas pesquisas atuais do que nas eleições passadas, se espera que a Liga Norte de Umberto Bossi, aliado de Berlusconi, também tenha bons resultados.

Os levantamentos também dão ao principal partido de oposição italiano, o Partido Democrático (PD), um resultado discreto nas eleições europeias, com uma percentagem abaixo dos 25%.

No entanto, se prevê que o também esquerdista Itália dos Valores (IdV) do ex-procurador Antonio di Pietro obterá um notável crescimento no pleito europeu. EFE fab/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG