Partido de Angela Merkel teme derrota eleitoral

Políticos estão preocupados com o descontentamento de seus eleitores em relação à ajuda bilionária concedida à Grécia

AFP |

O partido conservador da chanceler alemã Angela Merkel teme sofrer uma derrota no domingo em uma eleição regional crucial para seu governo em Berlim, devido ao descontentamento de seus eleitores com a ajuda à Grécia.

Segundo uma pesquisa YouGov divulgada neste sábado pelo jornal Bild, 21% dos eleitores consideram que o apoio alemão terá uma influência na votação de domingo na Renânia do Norte-Westfália (NRW, oeste).

A chanceler conservadora foi acusada de ter adiado o socorro à Grécia com a esperança de evitar a sua adoção antes desta eleição para satisfazer cidadãos que não apoiam a solidariedade com a Grécia.

Merkel teve de aceitar ajudar Atenas diante dos riscos da crise grega para a zona do euro e para que este país possa pagar suas dívidas no dia 19 de maio.

Na sexta-feira, o Parlamento alemão aprovou assim a concessão de mais de 22 bilhões de euros durante três anos, a maior contribuição para os 80 bilhões em créditos bilaterais dos sócios europeus à Grécia.

A eleição no Estado regional NRW, o mais populoso da Alemanha, com 18 milhões de habitantes, é a primeira desde que a coalizão de centro-direita liderada por Merkel chegou ao poder em Berlim no mês de outubro de 2009.

Os resultados desta eleição podem fazer com que a formação de Merkel perca a sua maioria na Bundesrat, a câmara alta do Parlamento dos Representantes dos Estados, e complicarão assim a tarefa da chanceler de aprovar as grandes reformas prometidas antes das eleições de 2009, em temas como saúde e impostos.

Consciente desta conjuntura, Merkel entrou de cabeça na campanha eleitoral, participando de nada menos que 15 atos públicos, sem contar com suas várias declarações à imprensa para explicar os fundamentos da ajuda à Grécia.

A crise grega "desempenhará um papel determinante" nas urnas, afirmou neste sábado Klaus-Peter Schöppner, diretor do instituto de pesquisas Emnid no site do jornal Rheinische Post.

Dentro do partido da chanceler, a CDU, alguns consideram que melhor teria sido aprovar o apoio à Grécia logo no início da crise em vez de fazê-lo pouco antes da eleição.

"A irritação do eleitor já teria se dissipado", disse um membro da CDU citado pelo Financial Times Deutschland.

Assim como em nível nacional, os conservadores e os liberais governam juntos na região NRW, desde 2005 depois da grande derrota eleitoral do Partido Social-Democrata.

Para domingo, a maioria das pesquisas indica uma disputa acirrada entre a direita e a esquerda, o que torna possível diversas alianças políticas.

Há meses, circulam especulações sobre uma coalizão dos conservadores com os Verdes, assim como ocorre em Hamburgo (norte). 

    Leia tudo sobre: Angela MerkelAlemanhãeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG