Partido conservador é grande vencedor de repetição de pleito na Macedônia

Skopje, 15 jun (EFE) - O partido governante Organização Revolucionária Interna da Macedônia-Partido Democrático pela União Nacional Macedônia (VMRO-DPMNE) foi o grande vencedor das eleições parlamentares depois da repetição de voto em várias zonas do norte e noroeste do país, povoadas por albaneses. A participação foi de 57,37%, segundo dados da Comissão Eleitoral. A VMRO-DPMNE obteve 50,42% dos votos, frente à opositora e ex-governante União Social Democrata da Macedônia (SDSM), que conquistou 23,31%, segundo a apuração de 97% dos sufrágios, informou a Comissão Eleitoral estadual (DIK). Entre os partidos da grande minoria albanesa, que é 25% dos dois milhões de habitantes da Macedônia, venceu o opositor União Democrática para a Integração (BDI), derivada da antiga guerrilha separatista albanesa-macedônia, com 11,13% dos votos. A guerrilha, que mais tarde foi dissolvida, pegou em armas em 2001 e, durante sete meses, lutou contra as forças de segurança estaduais para exigir mais direitos para os albaneses. O grande adversário do BDI entre o eleitorado desta comunidade, o Partido Democrático dos Albaneses (DPA), que fazia parte do Governo da VMRO-DPMNE que deixa o poder, obteve 7,26%, o pior resultado em relação ao de duas semanas e a possível perda de vários assentos no Parlamento. O DPA acusou a BDI de roubar 35 mil votos hoje e anunciou que pedirá uma nova votação dentro de duas semanas em vários colégios eleitorais, assegurou hoje seu vice-presid...

EFE |

A votação aconteceu hoje em um ambiente calmo e foram registrados poucos incidentes, a maioria de eleitores que tentaram votar mais de uma vez.

Além disso, dez pessoas foram detidas, algumas por irregularidades e ameaças a membros da comissão eleitoral, e outras que eram procuradas há duas semanas pelos incidentes registrados durante as eleições parlamentares de 1º de junho.

Só três colégios eleitorais, na aldeia de Golema Recica, perto de Tetovo, não abriram suas portas hoje, pois, durante à noite, sumiram as cédulas e outros materiais eleitorais, enquanto em Zelino a votação foi interrompida por divergências entre os membros da comissão.

Os observadores nacionais e estrangeiros supervisionaram hoje a votação nessas zonas, nas quais houve um amplo desdobramento policial e nas quais as unidades antidistúrbios permaneceram em estado de alerta.

A missão dos observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) deveria elaborar, após a repetição do voto, um relatório final sobre as eleições macedônias, após advertir em um documento preliminar de que o país balcânico não cumpriu as normas internacionais.

As eleições na Macedônia eram consideradas uma prova dos padrões de eleições livres e democráticas deste país balcânico, um dos mais pobres da Europa, em seu desejado caminho em direção à União Européia (UE) e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

As eleições parlamentares foram adiantadas pela crise política gerada nos últimos meses depois da proclamação da independência unilateral do Kosovo -povoado majoritariamente por albaneses- e do bloqueio grego a sua adesão à Otan. EFE ib/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG