Partido Colorado do Paraguai lembra seu 122º aniversário

Assunção, 11 set (EFE).- O Partido Colorado do Paraguai, marcado por divisões internas, lembrou hoje o 122º aniversário de sua fundação, o segundo após ser derrotado nas eleições de abril de 2008 e ficar de fora do poder pela primeira vez em seis décadas.

EFE |

A Associação Nacional Republicana (ANR), nome oficial do partido, chega a este aniversário em plena crise por causa das divisões que gerou entre suas correntes a briga pela Presidência da Junta de Governo (direção).

A ANR foi deslocada do poder pelo ex-bispo Fernando Lugo, que assumiu a Presidência em 15 de agosto, após ganhar as eleições de abril desse ano à frente da ampla coalizão Aliança Patriótica para a Mudança (APC).

Seu antecessor, o colorado Nicanor Duarte, presidente da ANR, embora goze de uma permissão, reconheceu hoje perante jornalistas que os integrantes do "coloradismo ainda estão deprimidos e não há uma condução orgânica".

"Ser presidente de um partido com 60 anos no poder é tentar administrar os interesses da máfia interna no meio de uma grande tensão", ressaltou.

Em relação ao desejo de sua legenda voltar ao Governo em 2013, quando termina o mandato de Lugo, Duarte considerou que será uma tarefa muito difícil se seu grupo não fizer uma "oposição articulada, estruturada".

Em alusão ao atual Governo, opinou que "Lugo chegou sem compromisso com ninguém, aparentemente".

"O pior é que o 'liberalismo' o levou ao poder (Lugo) e ele terminou os enganando", disse em alusão ao governista Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), principal suporte político do presidente que mantém suas divergências com o chefe de Estado.

Por sua parte, o ex-vice-presidente paraguaio Luis Castiglioni, contrário à facção de Duarte, expressou que "é impossível" que todos os colorados pensem igual e opinou que poderão conduzir suas diferenças se o povo for respeitado.

"Com nova liderança e com candidatura crível o Partido Colorado vai recuperar o poder", acrescentou.

Enquanto isso, Lilian Samaniego, presidente interina da ANR e próxima ao grupo do ex-chefe de Governo, assinalou que os "colorados" que tinham apostado em Lugo por causa do desencanto com seu partido hoje sentem o mesmo pelo atual Governo.

"Estamos em processo de recuperação, precisamos apresentar um partido renovado. Um partido que esteja novamente perto do povo e não dos interesses de um só setor", ressaltou Lilian.

A ANR comemora hoje seu 122º aniversário com um espetáculo musical na Praça da Democracia em Assunção.

Uma empresa do México exigiu a retirada das caricaturas do personagem Chapolim Colorado, encarnado pelo bem-sucedido comediante mexicano Roberto Gómez Bolaños, que os colorados paraguaios haviam escolhido como símbolo em seu aniversário.

Lilian pediu desculpas pelo uso desse personagem, que foi incluído em vários pôsteres e outros suportes de publicidade, já retirados das ruas e dos meios de imprensa.

A ANR, que apesar da derrota tem a maioria em ambas as câmaras do Congresso, foi fundada em 11 de setembro de 1887 pelo general Bernardino Caballero, um dos comandantes junto ao marechal Francisco Solano López da guerra da Tripla Aliança (1865-1870), travada pelo Paraguai contra a Argentina, Brasil e Uruguai.

A maior parte do tempo que o Partido Colorado se manteve no poder corresponde ao regime ditatorial do general Alfredo Stroessner, que governou o país desde 1954 até sua derrocada, em 1989. EFE rg/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG