Partido Colorado apóia gestão da presidente interina

Assunção, 29 nov (EFE) - Uma convenção extraordinária do Partido Colorado do Paraguai rejeitou hoje o processo dos dirigentes da legenda pela derrota nas eleições gerais de 20 de abril. O partido foi retirado da Presidência pelo ex-bispo Fernando Lugo depois de 61 anos de hegemonia absoluta no poder, o que o levou a uma crise institucional. Com uma grande maioria de delegados que respondem ao ex-chefe de Estado Nicanor Duarte, a convenção apoiou também a gestão da presidente interina da legenda, a senadora Lilian Samaniego, aliada do ex-líder paraguaio. A disciplina partidária era um dos pontos muito reivindicados pelos convencionais. Vai ser uma das ferramentas para restaurar a institucionalidade do partido, afirmou Samaniego após o ato.

EFE |

Os opositores a Duarte pretendiam que a convenção aprovasse o julgamento dos membros da Junta de Governo (birô), integrada por 90 membros titulares e 90 suplentes, e do Tribunal Eleitoral dessa organização.

Além disso, propuseram modificar vários artigos dos estatutos partidários para reduzir o período de mandato da Junta, limitar seu número de membros e diminuir a quantidade necessária para deliberar.

A derrota eleitoral inseriu o partido em uma crise ainda não resolvida, com facções que se acusam mutuamente desse revés e a disputa da Presidência da organização, concedida em 19 de novembro a Duarte pela Corte Suprema de Justiça.

O plenário do Supremo resolveu assim uma disputa jurídica que Duarte mantinha com o empresário Osvaldo Domínguez, que presidia o partido desde finais de julho, ao ser favorecido por um juiz eleitoral por ser o segundo candidato mais votado no pleito da organização. EFE lb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG