Kuala Lumpur, 20 jun (EFE).- O comitê central do Partido Progressista de Sabah (SAPP, sigla em malaio) aprovou hoje por maioria apresentar uma moção de censura contra o primeiro-ministro da Malásia, Abdullah Badawi, no Parlamento na próxima segunda.

"Após considerar todos os aspectos, o conselho supremo decidiu aprovar a moção", anunciou o presidente do SAPP, Yong Teck, na saída da reunião realizada no Estado de Sabah, no norte da ilha de Bornéu.

Os 33 membros de comitê central presentes na sessão, com as únicas ausências de duas pessoas que estavam fora do país, aprovaram a proposta de Yong Teck.

O presidente do SAPP acrescentou que não foi discutida a possibilidade de abandonar a Frente Nacional, aliança de 14 partidos que governa ininterruptamente a Malásia desde a independência, em 1957.

A postura do SAPP confirma uma crise interna na coalizão governante, mas não ameaça a continuidade do Governo, pois só perderia 3 dos 140 deputados que tem no atual Parlamento de 222 cadeiras.

Em reunião realizada na véspera, 13 dos 14 partidos da aliança de Governo apoiaram ao primeiro-ministro, Abdullah Badawi, a quem se culpa pela derrota eleitoral que sofreu a coalizão nas eleições de 8 de março.

A Frente Nacional perdeu então os dois terços das cadeiras do Legislativo que sempre ganhou nas urnas e os Governos de cinco estados, quando a oposição chegou no máximo a governar dois.

A reunião realizada na quinta-feira foi a segunda urgente que o chefe do Executivo convoca desde maio para cerrar fileiras em torno de sua pessoa. EFE srn/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.