Partidários do governo tailandês pedem 'mão dura'

Em protesto em Bangcoc, "camisas amarelas" defendem forte atuação contra os opositores "camisas vermelhas"

iG São Paulo |

Reuters
Camisas amarelas protestam em Bangcoc
Cerca de 300 partidários do governo da Tailândia, conhecidos como "camisas amarelas", fizeram manifestações nesta quinta-feira em Bangcoc para defender que o grupo de oposição seja tratado com "mão dura".

A manifestação acontece um dia depois de os opositores "camisas vermelhas" terem entrado em novo confronto com o Exército do país, que deixou um morto e 19 feridos .

Os manifestantes se concentraram em frente ao quartel do 11º Regimento de Infantaria, em Bangcoc, onde o governo montou um centro para a coordenação da segurança.

"A crise se estendeu rapidamente e se intensificou até transformar a Tailândia em um Estado em anarquia", denunciaram os "camisas amarelas" em mensagens dirigidas ao primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva, e ao chefe do Exército, general Anupong Paochinda.

Chamlong Srimuang, ex-governador de Bangcoc e general reformado que lidera o grupo, disse que lembrou o governo e o Exército sobre sua obrigação de restabelecer a ordem, e advertiu que o número de vítimas aumentará caso não ocorra uma ação rápida contra os "camisas vermelhas".

Também nesta quinta-feira, a frente dos "camisas vermelhas" solicitou à União Europeia o envio de observadores a Bangcoc para evitar que as forças de segurança assaltem o acampamento que montaram no coração comercial da cidade.

"Ameaçados pelos carros de combate e um iminente banho de sangue, apelamos a sua ajuda para evitar uma catástrofe em questão de direitos humanos", apontaram os "camisas vermelhas" em carta entregue ao chefe da missão da União Europeia, David Lipman.

O grupo de oposição é formado, em sua maioria, por moradores das zonas rurais do norte e noroeste do país, as de maior densidade demográfica. Eles são partidários do ex-líder Thaksin Shinawatra, deposto em 2006 e condenado à revelia a dois anos de prisão por corrupção. Exilado e foragido da justiça tailandesa, o multimilionário Shinawatra guia e financia os protestos dos "camisas vermelhas".

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG