Partículas de ao menos cinco tipos de drogas - cocaína, heroína, maconha, ecstasy e ácido lisérgico - estão flutuando no ar de Madri e Barcelona, segundo o Conselho Superior de Investigações Científicas, da Espanha.

De acordo com o relatório publicado nesta sexta-feira pela revista Analytical Chemistry, foram encontradas moléculas de 17 componentes e metabolitos (substância produzida e excretada pelo organismo) das drogas no ar das duas cidades.

Os pesquisadores consideram altas as quantidades detectadas na atmosfera, embora tenham afirmado que as amostras foram colhidas em bairros onde o consumo de drogas é habitual.

Esta foi uma análise de referência para um projeto piloto, por isso os pesquisadores afirmam que os índices não são representativos de todas as áreas das cidades e que não há riscos para a população.

Concentração

As maiores concentrações são as de maconha e cocaína. Segundo o estudo, no caso da cocaína as partículas são liberadas no ar desde o processo de manipulação até o momento em que a droga é aspirada. Já a maconha libera componentes através da fumaça, assim como a heroína quando é fumada.

O relatório constatou que os maiores índices de moléculas de maconha são detectados de segunda a quinta-feira. De sexta a domingo dispara a contaminação de cocaína e outras drogas sintéticas.

No ar de Barcelona, foi registrada uma média diária de 210 picogramos (um bilionésimo de grama) de droga. Nos fins de semana, a contaminação se multiplica por quatro, mas segundo o relatório, isso ocorre porque as amostras foram colhidas "onde se concentram focos de consumos que podem estar relacionados com a prostituição e outras atividades", entre eles o Nou Camp, o estádio do Barcelona.

Em Madri, a concentração média de cocaína encontrada por dia foi de 480 picogramos. As amostras, neste caso, foram colhidas perto de um prédio em estado de abandono, onde consumidores de droga costumam comprar e usar a substância.

De acordo com o departamento de química ambiental de geociências do Instituto de Diagnóstico Ambiental, responsável pelas análises finais, os níveis de cocaína encontrados nas cidades espanholas são comparáveis aos de metais pesados como cádmio e bismuto, contaminantes da atmosfera, mas regulamentados.

A técnica de medição da contaminação ambiental é novidade. Foram usados filtros com micro-fibras de quartzo que retém as partículas em suspensão no ar. Estes filtros de alta sensibilidade são analisados com técnicas de cromatografia líquida e espectrometria de massas.

Leia mais sobre drogas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.