Participação em referendos na Itália superou 41%

Resultado de votação é teste da popularidade de Berlusconi. Para ser válido, pleibiscito precisa de 50% de participação

EFE |

A participação nos quatro referendos convocados na Itália para decidir sobre temas-chaves como a energia nuclear e a gestão da água, assuntos que são percebidos como novos testes do apoio da população ao primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, seu ficou acima de 41% neste domingo. O dado foi cedido pelo Ministério do Interior, após o fechamento dos colégios eleitorais, no qual foi o primeiro dia destas consultas populares.

Os italianos tiveram que decidir sobre a privatização dos serviços de abastecimento de água, a determinação de tarifas para os serviços hídricos e a possibilidade de voltar a produzir energia nuclear, após 24 anos sem fazer isso. Além disso, estava em pauta a lei do "impedimento legal", a norma que permite a Berlusconi e a seus ministros ausentarem-se das audiências na justiça contra eles mesmos alegando motivos de agenda institucionais.

Para que o plebiscito seja válido será necessário que participe 50% dos 50.418.689 italianos que podem votar, incluindo os 3.299.905 residentes no estrangeiro. Estas consultas populares são vistas como um novo teste do apoio popular a Berlusconi, depois que seu partido perdeu a Prefeitura de Milão nas últimas eleições municipais, realizadas em maio, após 20 anos de governo conservador na capital lombarda. Leis que viabilizam a volta da energia nuclear e a norma que lhe concede imunidade judicial são fortemente defendidas por Berlusconi.

    Leia tudo sobre: ItáliaBerlusconireferendos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG