Parlamento ucraniano retoma sessões para aprovar leis contra crise

Kiev, 21 out (EFE) - A Rada Suprema (Parlamento) ucraniana retomou hoje suas sessões para aprovar uma série de leis a fim de enfrentar a crise econômica e financiar as eleições legislativas antecipadas. O Legislativo, que foi dissolvido no último dia 8 pelo presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, se reuniu esta manhã depois de o chefe de Estado suspender por vários dias, nesta segunda-feira, a vigência do decreto de dissolução do Parlamento e adiar, de 7 para 14 de dezembro, a realização dos pleitos parlamentares antecipados. Na segunda-feira, Yushchenko admitiu que conter a crise não seria uma tarefa fácil, já que, por exemplo, os pedidos das companhias metalúrgicas, um dos principais motores da economia nacional, caíram 40%. Logo após os trabalhos no Parlamento terem sido retomados os legisladores declararam recesso, pois não chegaram a um acordo sobre a ordem do dia. O grupo parlamentar da primeira-ministra Yulia Timoshenko - segunda legenda no Parlamento - exigiu que, primeiramente, os projetos de lei sejam submetidos a testes para fazer frente à crise econômica. Esta não é uma crise de uma semana ou de meses. A catástrofe financeira que a comunidade mundial atravessa ameaça se transformar em profunda recessão, da qual podem ser necessários anos para se sair, disse o líder do grupo parlamentar do Bloco de Yulia Timoshenko, Ivan Kirilenko.

EFE |

O deputado propôs a implantação de uma moratória para a realização de "qualquer tipo de eleições" no país enquanto durar a crise e a realização de pleitos parlamentares antecipados, que precisam ocorrer ao mesmo tempo que os presidenciais.

Timoshenko propôs a criação de uma ampla coalizão de Governo e deixar para depois as eleições, iniciativa à qual o presidente ucraniano se opõe. EFE bk/fh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG