Parlamento suspende imunidade de legislador iraquiano suspeito de terrorismo

Bagdá, 25 fev (EFE).- O Parlamento iraquiano suspendeu hoje a imunidade que amparava o legislador sunita Mohammed al-Daini devido às suspeitas sobre sua suposta vinculação com atos terroristas, informaram hoje fontes legislativas.

EFE |

A decisão foi anunciada pouco depois de se saber que as autoridades tinham proibido hoje o deputado de sair do país e ordenarem ao piloto da aeronave na qual viajava para a Jordânia que retornasse ao aeroporto de Bagdá.

A Polícia iraquiana investiga a possibilidade de que o legislador esteja por trás de um atentado contra o Parlamento iraquiano em 2007, que causou a morte de três pessoas, entre elas um deputado, assim como cerca de 20 feridos.

Daini, que negou estas acusações, viajava à Jordânia junto com outros legisladores quando o piloto recebeu a ordem de volta. Não se sabe qual era o motivo oficial de sua viagem.

As suspeitas contra o legislador surgiram no domingo passado quando o porta-voz do Plano de Segurança de Bagdá, general Qasim Musawi, anunciou a detenção de dois guarda-costas do deputado e os acusou de cometer vários atentados, incluindo o contra o Parlamento.

Daini não foi detido então, já que tinha imunidade parlamentar, mas foi proibido de deixar o país enquanto havia investigações sobre os crimes que, segundo o general Musawi, os dois guarda-costas confessaram ter cometido. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG