Parlamento sudanês aprova nova lei eleitoral

Cartum, 7 jul (EFE).- O Parlamento sudanês aprovou hoje uma nova lei eleitoral que permite a realização de eleições legislativas e presidenciais que poderá ter a participação de todos os partidos políticos do país pela primeira vez em quase duas décadas.

EFE |

A nova lei eleitoral foi aprovada em meio à transição democrática que prevê o acordo de paz, assinado em 9 de janeiro de 2005 entre o Governo do Sudão e os rebeldes do sul, e que pôs fim a 21 anos de guerra civil.

Pela primeira vez na história do país africano, a nova lei dá 25% das 400 cadeiras do Parlamento às mulheres.

Em relação à participação da oposição no pleito parlamentar, será permitida apenas se os partidos opositores conseguirem 4% dos votos.

A lei foi aprovada apesar das críticas de vários partidos opositores que consideram que ela não garante que as eleições sejam livres e transparentes.

O acordo de paz assinado em 2005 prevê a realização de eleições em todo o país antes de 2009.

O pacto pôs fim a um conflito que deixou dois milhões de pessoas mortas em enfrentamentos entre o norte muçulmano e os rebeldes do sul, que deixaram as armas em 1983 quando o regime de Cartum impôs a "sharia" (lei islâmica) em todo o país, incluindo o sul, onde a população é majoritariamente animista ou cristã. EFE az/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG