Parlamento russo condena reação norte-coreana a novas sanções

Moscou, 13 jun (EFE).- O Parlamento russo criticou hoje a reação da Coreia do Norte às novas sanções aprovadas pela ONU contra o país e disse que a resposta da comunidade mundial será ainda mais dura se Pyongyang optar por aumentar seu potencial nuclear.

EFE |

"É lamentável a reação imprópria e excessiva de Pyongyang à resolução do Conselho de Segurança (CS) da ONU", declarou o deputado Konstantin Kosachov, presidente da Comissão de Assuntos Internacionais do Parlamento.

Segundo o deputado, citado pela agência "Interfax", a ONU aprovou uma resolução "equilibrada e muito responsável", que "não fecha, mas mantém abertas as portas para a retomada das conversas sobre o problema norte-coreano".

Depois que o CS aprovou ontem novas sanções em resposta a um teste atômico feito recentemente pela Coreia do Norte, Pyongyang afirmou neste sábado que seguirá com seu programa nuclear.

O regime norte-coreano disse ainda que dará início ao processo de enriquecimento de urânio, que utilizará o plutônio que armazena como arma nuclear e que considerará qualquer "bloqueio" um ato de guerra.

Ao comentar esta reação, o legislador russo declarou: "Se Pyongyang prosseguir com seus esforços destrutivos, que criam uma ameaça real à segurança internacional e ao regime de não-proliferação, o CS pode endurecer ainda mais sua postura".

Kosachov também criticou a Coreia do Norte por optar pelo "círculo vicioso das ameaças mútuas" e por não ter considerado o fato de que a resolução se baseia no artigo 41 da Carta da ONU, que não prevê o uso da força militar.

A Chancelaria da Rússia, que participou da redação da resolução e fez pressão para que o texto fosse moderado, defendeu-o como "equilibrado e adequado à situação criada". EFE se/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG