Parlamento mantém disputa com Ahmadinejad pela lei dos subsídios

Teerã, 3 jan (EFE).- O Parlamento iraniano retomou hoje a queda-de-braço com o presidente Mahmoud Ahmadinejad, ao rejeitar o pedido do Governo de retirar a lei que pretende substituir os subsídios por ajudas diretas e dinheiro à população.

EFE |

Segundo a agência de notícias local "Fars", 120 deputados dos 243 presentes votaram contra o desejo do Gabinete, que não concorda com a forma com a qual a Câmara fez sua proposta de lei, e luta pelo controle absoluto dos recursos.

A "lei de reorientação dos subsídios", projeto do presidente iraniano, já foi rejeitada em março de 2009 pela Assembleia, que teme que a maior influência ao Governo e piorar a já alta inflação de seu país.

No entanto, aceitou a maior parte da proposta do Executivo em outubro, depois que Ahmadinejad ameaçou retirá-la e fosse apresentada na Câmara para lembrar aos deputados que contava com o apoio explícito do líder supremo da Revolução, aiatolá Ali Khamenei.

A polêmica está na decisão da Câmara de que os recursos sejam colocados no Tesouro nacional e façam parte do Orçamento do Estado, que bate de frente com o desejo de Ahmadinejad de possuir o controle pleno do dinheiro para decidir e tramitar seu uso.

A lei foi rejeitada e devolvida ao Parlamento dias atrás pelo poderoso Conselho de Guardiães, órgão que deve ratificá-la para que possa entrar em vigor. EFE jm-msh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG