Parlamento libanês começa a discutir programa de Governo

Beirute, 8 ago (EFE).- O Parlamento libanês começou hoje a examinar o programa de Governo pactuado pelos ministros do Gabinete de união nacional, que deverá receber nos próximas dias a confiança do Congresso em uma votação considerada transcendental.

EFE |

Apesar de quatro ministros terem feito ressalvas sobre alguns dos pontos, é praticamente certo que os deputados apoiarão o programa de Governo.

O presidente do Parlamento Nabih Berri disse recentemente em declarações à imprensa que espera que o Parlamento dê seu apoio ao programa nas próximas quarta e quinta-feira.

Os artigos mais discutidos estão relacionados com o armamento da Resistência (braço armado do Hisbolá), já que alguns ministros consideram que suas armas deveriam ter sido postas sob a soberania do Estado.

O texto reconhece "o direito do povo, do Exército e da resistência" de utilizar os meios a seu alcance para restabelecer a soberania do Estado sobre as zonas ocupadas por Israel das fazendas de Chebaa, das colinas de Kfar Chuba e da aldeia de Ghayar.

"A autoridade do Estado será o eixo que guiará as decisões e ações do Governo", afirmou o ministro da Informação Tareq Mitri, após sua aprovação pelo Governo.

As armas da Resistência são objeto de controvérsia no Líbano desde a guerra contra Israel em 2006, que resultou na morte de mais de 1.200 pessoas, enquanto outras cinco mil ficaram feridas e cerca de um milhão tiveram que se deslocar para fugir da violência.

Além disso, provocou vários danos materiais estimados em bilhões de dólares. EFE ks/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG