Parlamento Latino-americano critica nova lei da UE contra imigração

Santiago do Chile, 29 jun (EFE).- O presidente do Parlamento Latino-americano (Parlatino), o chileno Jorge Pizarro, criticou hoje em Santiago a recém-aprovada lei do Parlamento Europeu (PE) que endurece as medidas contra os imigrantes.

EFE |

Em entrevista coletiva, o senador democrata-cristão informou que o tema será abordado na próxima reunião do Parlamento Latino-americano, que acontecerá nos dias 3 e 4 de julho, na capital chilena.

No último dia 18, o PE aprovou uma diretiva sobre a deportação de imigrantes ilegais, a qual que estabelece que os estrangeiros em situação irregular podem ficar retidos por um período máximo de 18 meses, até sua repatriação, e proíbe o retorno deles à União Européia antes de sua expulsão completar cinco anos.

"A expulsão de imigrantes ilegais e a possibilidade de que possam ser detidos sem ordem judicial tornará um crime a imigração, o que prejudicará milhões de latino-americanos", afirmou Pizarro.

O legislador, que antecipou que o Parlatino vai "intervir no assunto", acrescentou que as medidas européias são "extremamente violadoras dos direitos das pessoas, o que não condiz com o que a comunidade européia é, muito menos com o tratado birregional que existe entre a América Latina e a Europa".

O parlamentar declarou que os emigrantes vão para outras nações por necessidade e que "o mínimo que o Estado que os recebe pode fazer é garantir os direitos mínimos" deles. EFE mw/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG