Parlamento iraquiano aprova pacto de segurança com EUA

Por Ahmed Rasheed BADGÁ (Reuters) - O parlamento iraquiano aprovou nesta quinta-feira um importante pacto de segurança com os Estados Unidos que abre caminho para a retirada das tropas norte-americanas do país até o final de 2011.

Reuters |

O acordo, que após dias de complicadas negociações foi atrelado pelo parlamento a uma série de prometidas reformas políticas e a um referendo público no ano que vem, torna visível o fim da presença militar dos Estados Unidos no Iraque, iniciada com a invasão de 2003.

O parlamento iraquiano, com 275 cadeiras, aprovou o acordo por maioria de 149 entre os 198 presentes, disse o presidente da Casa, Mahmoud al-Mashhadani.

Não estava claro se a votação constituía um consenso suficiente para satisfazer as exigências do clérigo xiita mais influente do país, o aiatolá Ali al-Sistani, que havia pedido o apoio de todas as comunidades do país para o acordo.

Pelo pacto, os soldados norte-americanos terão que sair das cidades iraquianas na metade do ano que vem, permanecendo apenas nas bases militares, e deixarão o país em definitivo até o fim de 2011.

A aprovação foi uma derrota para os parlamentares leais ao clérigo xiita Moqtada al-Sadr, que levaram cartazes e gritavam "Não ao pacto. Sim ao Iraque" durante a votação.

Os sadristas, que exigem a saída imediata dos EUA, não se contentaram com o acordo que prevê a convocação de um referendo público sobre o pacto de segurança no ano que vem.

"O referendo é uma mentira para satisfazer algumas partes", disse o deputado defensor de Sadr Aqeel Abdul-Hussein.

O acordo deve aumentar o prestígio do primeiro-ministro Nuri al-Maliki, pois permite que ele continue chamando as forças norte-americanas para combater a violência no país ao mesmo tempo em que lhe dá crédito por acertar a data de saída das tropas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG