Parlamento iraniano dá apoio a possível ministro procurado pela Interpol

O Parlamento iraniano apoiou nesta terça-feira a candidatura ao ministério da Defesa de Ahmad Vahidi, acusado por um atentado que matou 85 pessoas na Argentina em 1994 e procurado pela Interpol, no terceiro dia de debates antes da votação de confiança do gabinete proposto pelo presidente Mahmud Ahmadinejad.

AFP |

Vestido com roupa militar, Vahidi apresentou seu programa insistindo na necessidade de reforçar as capacidades militares do Irã para enfrentar as ameaças.

Os debates antes da votação de confiança de quarta-feira começaram no domingo. Os ministros propostos apresentam seus planos aos parlamentares, que manifestaram oposição a vários deles.

A nomeação de Vahidi provocou uma polêmica internacional e o repúdio do governo argentino e da comunidade judaica argentina, que tem 300.000 membros.

A Argentina pediu a prisão de Vahidi pelo suposto envolvimento no ataque de 1994 contra a mutual judaica argentina AMIA, que matou 85 pessoas e deixou 300 feridos.

Vahidi era o comandante do grupo especial de segurança Al Quds no governo do presidente iraniano no momento do ataque, Ali Akbar Rafsanjani, outro acusado pela justiça argentina.

Em 2007, a Interpol emitiu um pedido de captura internacional para Vahidi.

Um deputado conservador, Gholamreza Karami, ex-militar, pediu aos deputados o apoio a Vahidi para "opor-se aos sionistas".

Os deputados, em resposta, gritaram "morte a Israel".

fpn-jds/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG