Estrasburgo (França) - O Parlamento Europeu voltou nesta quinta-feira a pedir a libertação dos seqüestrados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), em primeiro lugar dos doentes, como a franco-colombiana Ingrid Betancourt.

O pedido se inscreve na resolução sobre a próxima cúpula entre União Européia (UE) e a América Latina em Lima, aprovada por 542 votos a favor, 12 contra e 12 abstenções.

No texto, a Eurocâmara "reitera sua convicção de que a luta contra o terrorismo deve ser feita dentro do mais estrito respeito aos direitos humanos, às liberdades civis e ao estado de direito".

Neste contexto, exige "a libertação incondicional e imediata de todos os seqüestrados na Colômbia e, em primeiro lugar, dos doentes".

"Essa libertação deve acontecer por decisão unilateral das Farc ou de qualquer outra organização responsável pelo seqüestro, ou no contexto de um acordo de troca humanitária urgente", acrescenta a resolução.

Em 12 de março, o presidente do Parlamento Europeu, Hans-Gert Pöttering, já tinha pedido às Farc que libertassem todos seus reféns e defendeu o envio de "uma missão médica internacional" para atendê-los enquanto permanecerem seqüestrados.

Leia mais sobre: Farc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.