Parlamento Europeu quer Europa e América Latina mais próximas

Estrasburgo (França), 24 abr (EFE).- O Parlamento Europeu defendeu hoje que a próxima cúpula União Européia (UE)-América Latina e Caribe, em Lima, sirva de incentivo para as negociações de associação política e de livre-comércio em curso entre estas duas regiões.

EFE |

A resolução aprovada pela Eurocâmara (542 votos a favor, 12 contra e 12 abstenções) pede que as negociações que a UE mantém separadamente com Comunidade Andina, América Central e Mercosul se concluam "no prazo mais breve possível" e que se "aprofundem" os acordos em vigor com Chile e México.

Segundo a entidade, o objetivo deve ser conseguir para 2012 um Acordo de Associação Global Inter-regional que contemple "a livre circulação de pessoas, mercadorias, serviços e capitais" entre as duas regiões.

A resolução cria bases para reunião de Lima, que será realizada em 16 e 17 de maio e terá foco na luta contra a pobreza, o desenvolvimento sustentável, a mudança climática e a energia.

Além disso, assume e reitera propostas prévias da Assembléia Parlamentar da UE e América Latina.

A resolução defende a criação de um fundo de solidariedade entre as duas regiões, um "espaço comum de ensino superior", uma fundação euro-latino-americana de estudos políticos, um centro comum de prevenção de conflitos e um observatório de migração.

A Eurocâmara quer também que os líderes europeus e latino-americanos se aliem em negociações internacionais sobre a luta contra a mudança climática.

A resolução do Parlamento Europeu inclui também algumas referências diretas e implícitas à situação política na América Latina.

O texto aprovado pelo Parlamento Europeu considera pertinente que, durante a cúpula, se reafirme a adesão pelos Governos de seu continente e da América Latina "aos princípios e valores da democracia pluralista e representativa, da liberdade de expressão e de imprensa, do respeito aos direitos humanos e da rejeição de toda forma de ditadura e autoritarismo".

Além disso, voltou a pedir que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertem seus reféns.

"A libertação deve ser realizada por decisão unilateral das Farc ou de qualquer outra organização responsável pelo seqüestro" ou através "de um acordo de troca humanitária urgente", diz o Parlamento em comunicado.

Uma emenda do conservador Partido Popular Europeu que pedia ao Conselho da UE - Governos nacionais - que estudasse a inclusão da organização peruana Movimento Revolucionário Tupac Amaru na lista européia de terroristas, foi rejeitada por 271 votos a favor, 275 contra e 16 abstenções.

Por outro lado, no debate realizado ontem, eurodeputados dos grupos Socialista e Esquerda Unitária se mostraram a favor de que a UE elimine as sanções diplomáticas que impôs a Cuba em 2003 e que mantêm suspensas desde 2005.

A resolução não se refere diretamente à questão, mas faz alusão ao embargo dos EUA sobre a ilha, ao criticar medidas coercitivas que, "por seu caráter unilateral e extraterritorial, são contrárias ao Direito internacional". EFE adp/rr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG