Parlamento Europeu acusa China de apoiar ditaduras na África

Estrasburgo (França), 23 abr (EFE) - O Parlamento Europeu aprovou hoje um relatório no qual adverte de que os crescentes investimentos da China nas matérias-primas da África servem de apoio a ditaduras e Governos com altos níveis de corrupção.

EFE |

O texto, aprovado por 618 votos a favor, 16 contra e 17 abstenções, afirma que o dinheiro chinês serve indiretamente para "estimular freqüentemente a corrupção e contribuir ao enriquecimento e a permanência no poder de regimes corruptos".

Além disso, "fornece a alguns ditadores africanos apoio político e financeiro para se manter no poder".

O relatório também critica o fato de o Governo chinês não ajudar ao desenvolvimento deste continente, apenas concedendo empréstimos atrelados à obtenção de recursos energéticos e matérias-primas.

O texto, redigido pela socialista portuguesa Ana Gomes, nega que os interesses da China na África se limitem ao comércio, porque Pequim pressionaria os países africanos para que assumam suas posições em conflitos como o de Taiwan ou Tibete.

Além disso, o documento indica que os investimentos da China na África não têm conseqüências só em matéria de segurança energética global, mas também de "segurança alimentar", pois o país importa cada vez mais alimentos e contribui, assim, aos "grandes aumentos dos preços".

Segundo o relatório do Parlamento Europeu, a China poderia se transformar no maior investidor na África até 2010 - atualmente, ocupa o terceiro lugar.

Até essa data, importará quase a metade de seu petróleo (45%) do continente africano.

Por outra parte, o texto parlamentar critica a restrição de direitos e liberdades registrada na China, "particularmente notória" no que diz respeito à minoria tibetana. EFE adp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG