Parlamento do Mercosul defende consenso regional frente à crise

Montevidéu, 3 nov (EFE) - O Parlamento do Mercosul, reunido em Montevidéu, defendeu hoje um consenso regional para combater os efeitos da crise financeira internacional, mas falhou na hora de alcançar acordos concretos devido à divisão de seus membros. A crise financeira mundial devia centrar a maior parte dos debates no primeiro dia da 14ª sessão plenária do Parlamento do Mercosul, mas este tema foi em breve superado pelas discussões sobre as reformas da representatividade por países, questões fronteiriças e assuntos bilaterais. Fontes do órgão disseram à Agência Efe que boa parte da sessão foi tomada pelos parlamentares paraguaios com suas exigências aos legisladores brasileiros sobre temas como a represa de Itaipu ou o elevado número de contingentes militares que o Brasil possui do outro lado da fronteira comum. Em uma concessão ao Brasil, foi acordado neste plenário, reunido desde as 15h (em Brasília), discutir fora da agenda sua demanda de aumentar o número de representantes de acordo com o tamanho real demográfico e econômico do país. O Parlasul é formado atualmente por 18 representantes de cada um dos países-membros e também da Venezuela, que está em processo de adesão (faltando a aprovação dos Parlamentos de Paraguai e Brasil), com voz, mas sem voto. A reforma defendida pelo Brasil, mas que não obteve hoje o respaldo nem de uruguaios nem de paraguaios (que temem ver sufocada sua voz da mesma forma como seu pequeno papel econômico é muitas vezes...

EFE |

As citadas fontes não descartaram que a crise e suas possíveis soluções voltem a ser mencionadas amanhã em uma região onde as diferentes velocidades no plano econômico e de trocas comerciais imprimem também uma marcha distinta na regra dos problemas financeiros.

Amanhã termina a 14ª Sessão Plenária do Mercosul e espera-se que sejam abordados com mais detalhes as questões de agenda, como a promoção dos direitos das pessoas com deficiências ou o projeto do código alfandegário comum, entre outros temas. EFE jas/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG