Parlamento do Equador rejeita bases dos EUA na Colômbia

Quito, 25 ago (EFE).- A Assembleia Nacional (Legislativo) do Equador rejeitou hoje a instalação de tropas americanas em bases militares colombianas e solicitou à União de Nações Sul-americanas (Unasul) que emita medidas de confiança para serem aplicadas na região.

EFE |

A Assembleia aprovou esta noite uma resolução, com 68 votos dos 104 legisladores presentes, rejeitando a decisão do Governo do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, de permitir um grande aumento da presença militar americana em seu território.

A maioria parlamentar, integrada pelo movimento governista Aliança País e por vários grupos de esquerda, viabilizou a aprovação do texto, em que expressa "profunda preocupação com o impacto nocivo que representa a presença de bases militares americanas na segurança e na paz da região".

O Legislativo equatoriano considerou que a eventual ampliação dos acordos militares entre Colômbia e EUA mina os esforços de integração e de construção de uma paz efetiva e real na América do Sul.

Por isso, pediu ao Parlamento Latino-americano e à Unasul "que se reúna para emitir um pronunciamento sobre a instalação de bases militares americanas na Colômbia".

Convocou também os países da Unasul a elaborar "um acordo geral de medidas de confiança mútua e de segurança, indispensáveis para que, com uma relação transparente, se evite uma escalada dos conflitos, se superem diferenças e temores que escurecem a relação dos Governos e põem em risco a integração".

Sobre a ruptura das relações diplomáticas entre Equador e Colômbia, assim como a possibilidade de que ambos os países iniciem um diálogo para superar suas diferenças, o Legislativo equatoriano apoiou as iniciativas que tenham o tema como foco. EFE fá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG