Parlamento do Equador ratifica Tratado Constitutivo da Unasul

Quito, 14 mai (EFE).- A Comissão Legislativa do Equador (Parlamento) ratificou hoje o Tratado Constitutivo da União de Nações Sul-americanas (Unasul), ao considerar esse instrumento importante para o país e a região.

EFE |

Com o voto de 51 dos 59 legisladores presentes na sessão de hoje, o Parlamento concordou com um relatório da subcomissão de Relações Internacionais e Segurança Pública do Equador que recomendou a ratificação do Tratado que deu origem ao organismo regional.

O departamento de comunicação do Legislativo indicou que a Unasul tem como objetivo "construir uma identidade e cidadanias sul-americanas e desenvolver um espaço regional integrado nos campos político, econômico, social, cultural, ambiental, energético e de infraestrutura, para contribuir com o fortalecimento da unidade da América Latina e do Caribe".

"Esses preceitos são compatíveis com a Constituição equatoriana", assinalou em comunicado o Parlamento, que destacou os benefícios para o país com sua adesão ao organismo.

No documento, acrescentou ainda que a Unasul outorga "prioridade ao diálogo político, às políticas sociais, à educação, à energia, à infraestrutura, ao financiamento e ao ambiente, entre outros aspectos".

Além disso, "pretende eliminar a desigualdade socioeconômica, conseguir a inclusão social e a participação cidadã, afiançar a democracia e reduzir as assimetrias no marco do fortalecimento da soberania e independência".

O Tratado Constitutivo de Unasul foi assinado no dia 23 de maio de 2008, em Brasília, por Brasul, Argentina, Bolívia, Colômbia, Uruguai, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela. EFE fa/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG