Parlamento de Taiwan desafia EUA com proibição de carne bovina

Taipé, 5 jan (EFE).- O Parlamento taiuanês aprovou hoje uma emenda à lei de segurança alimentar proibindo a importação de partes de carne bovina procedentes de países com a infecção da vaca louca nos últimos dez anos, como os Estados Unidos.

EFE |

Washington advertiu que a aprovação da emenda afetaria as relações comerciais e econômicas, já que anula um acordo assinado em outubro para reabrir o mercado da ilha à carne bovina americana.

O Parlamento também aprovou uma resolução a favor da cooperação entre os parlamentares e o Governo para não sucumbir à pressão exterior na defesa da saúde dos taiuaneses.

A representação americana em Taiwan expressou seu pesar pela emenda.

"Os Estados Unidos lamentam profundamente a decisão do Parlamento taiuanês de restringir a importação do gado bovino americano e de anular unilateralmente um acordo negociado em boa fé", disse o porta-voz americano na ilha, Christopher Kavanagh.

"Esta ação prejudica a credibilidade de Taiwan como parceiro comercial responsável, e tornará mais difícil a assinatura de futuros acordos para expandir os laços comerciais e econômicos", acrescentou Kavanagh.

O presidente taiuanês, Ma Ying-jeou, e seu Governo não conseguiram convencer os parlamentares a não aprovar a emenda.

O governista Partido Kuomintang tem quase dois terços das cadeiras parlamentares, mas seus legisladores preferiram não decidir contra a opinião pública.

Entre as partes bovinas restringidas com a nova emenda estão o crânio, olhos, intestino e vísceras. EFE flp/sa-an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG