Parlamento de Honduras adia debate sobre anistia

TEGUCIGALPA - O Parlamento de Honduras adiou hoje o debate sobre a proposta de conceder uma grande anistia política, incluída no plano do presidente da Costa Rica, Oscar Arias, para superar a crise no país.

EFE |

O Congresso recebeu hoje o chamado Acordo de San José, enviado pelo Governo e apresentado por Arias na quarta-feira na capital costarriquenha, mas decidiu não discuti-lo imediatamente.

O texto será passado a uma comissão especial, como informou à imprensa o presidente do Congresso, Alfredo Saavedra.

A comissão deverá apresentar seu relatório aos deputados entre amanhã e a próxima quinta-feira, e fará sua análise baseada nos antecedentes, jurisprudência e marco constitucional de Honduras e no texto proposto por Arias como mediador da crise.

Saavedra explicou que assim haverá mais tempo para que os deputados analisem a proposta e especificou que ao Parlamento só foi pedido "uma opinião" sobre se convém ou não conceder anistia política aos envolvidos na crise.

A recomendação que a comissão vier a emitir requer a maioria simples - 65 dos 128 deputados - para sua aprovação, explicou.

O presidente do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), Saúl Escobar, disse à imprensa que esse organismo analisará esta semana a proposta de antecipar as eleições gerais de 29 de novembro próximo, algo incluído também no plano de solução de Arias.

A proposta de Arias inclui a reinstalação condicionada do deposto presidente Manuel Zelaya - derrubado em 28 de junho -, uma anistia política, a antecipação das eleições, e o estabelecimento de uma comissão da verdade e verificação internacional, entre outros pontos.

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: hondurasmanuel zelayaroberto micheletti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG