Parlamento autoriza viagem de Chávez a Cuba para se tratar

Presidente venezuelano não divulgou quanto tempo passará fora do país para realizar quimioterapia

iG São Paulo |

O Parlamento da Venezuela autorizou o presidente Hugo Chávez a viajar a Cuba para iniciar a segunda etapa do tratamento contra o câncer , que consiste na aplicação de quimioterapia . Chávez pediu autorização para se ausentar na sexta-feira, mas não especificou quanto tempo ficará fora do país.

"A bancada bolivariana, por razões de legitimidade, legalidade e humanidade, vai votar pela autorização", sentenciou o presidente da Assembleia Nacional, Fernando Soto, após duas horas de debate nas quais oposição e situação entraram em acordo para permitir a viagem de Chávez. A bancada de oposição votou a favor da permissão, mas pediu que o vice-presidente, Elías Jaua, assuma a chefia de Estado.

"Autorizamos a viagem do presidente para Cuba e esperamos que se recupere (...) mas enquanto durar a ausência, todos os atos devem ser tomados da Venezuela e não de Cuba", disse o deputado opositor Hiram Gaviria. Por sua vez, o também opositor Miguel Rodríguez acusou a bancada governista de "traficar" com a saúde do presidente.

Chávez foi operado no dia 20 de junho de um tumor cancerígeno em Cuba e retornou à Venezuela no dia 4 de julho para continuar com "a primeira etapa" do processo de recuperação. Na sexta-feira, após se despedir do presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, que visitou a Venezuela, Chávez aproveitou a presença da imprensa para ler a carta de solicitação de permissão de viagem à Assembleia Nacional.

"Esta segunda etapa começará nos próximos dias com a aplicação de quimioterapia, e tenho certeza que a segunda etapa contribuirá para seguir pelo caminho da recuperação", disse Chávez, após agradecer a equipe de médicos cubanos e venezuelanos que acompanham o trabalho. O comunicado desmente informações de que ele faria seu tratamento no Brasil .

Tumor

Até agora Chávez não deu detalhes sobre a localização do tumor - que segundo informação oficial estava alojado na região pélvica - e limitou-se a negar rumores de que o tumor teria afetado o cólon e estômago.

A ausência do carismático líder, no poder desde 1999, despertou dúvidas sobre o futuro político da Venezuela e repercutiu na comunidade internacional, forçando Chávez a fazer uma declaração à nação em 30 de junho, quando assumiu em mensagem gravada e transmitida desde Havana que estava com câncer .

Aparentemente mais magro, ele voltou de surpresa à Venezuela na madrugada de 4 de julho para participar das comemorações do Bicentenário da Independência da Venezuela da Espanha, uma maneira de reafirmar que continuava à frente do governo, embora com um ritmo de atividades reduzido.

* Com EFE

    Leia tudo sobre: VenezuelaChavezcâncer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG