Parlamento aprova estado de emergência na Somália

Mogadíscio, 19 ago (EFE).- Tropas do Governo da Somália invadiram hoje outra cidade dominada por milícias islâmicas na região de Gedo, no sul do país, enquanto o Parlamento aprovou o estado de emergência declarado pelo Executivo, informaram fontes oficiais e locais à Agência Efe.

EFE |

O Parlamento somali aprovou, por 421 votos contra 23, o estado de emergência no país durante três meses, declarado há dois meses pelo Governo.

Enquanto isso, um comunicado da Presidência afirmou que as tropas governamentais ocuparam a cidade de Lugh durante a madrugada, que estava em poder do grupo radical islâmico Hizb al Islam, aliado à milícia de Al-Shabab, que os Estados Unidos vinculam à Al-Qaeda.

A nota, divulgada pelo porta-voz da Presidência Abdulkader Mohammed Osman, aponta que "as tropas governamentais, lideradas pelo coronel Mohamud Osman Wali, ocuparam Lugh" e acrescenta que "este Governo tem a intenção de recuperar todo o território do país do controle das milícias".

Moradores de Lugh disseram à Efe por telefone que várias centenas de soldados governamentais entraram e ocuparam a cidade sem resistência do Hizb al Islam.

Lugh é a segunda cidade ocupada pelo Exército na região de Gedo em três dias.

O porta-voz da Al-Shabab na região, Sheikh Hassan Yaqub, disse à agência Efe por telefone que as duas cidades foram capturadas por milícias "leais à Etiópia". EFE ia/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG