Parlamento alemão aprova texto de condenação ao anti-semitismo

Berlim, 4 out (EFE) - O Parlamento alemão (Bundestag) aprovou hoje, por maioria, um texto de condenação ao anti-semitismo que pede ao Governo da Alemanha para reforçar e ampliar sua luta contra a xenofobia em direção aos judeus. A declaração foi feita às vésperas da comemoração, neste fim de semana, do 70º aniversário da Kristallnacht (Noite dos Cristais), que aconteceu de 9 a 10 de novembro de 1938, e que é considerada o início da perseguição sistemática da população judaica por parte do regime nazista. A redação do documento esteve marcada pela polêmica durante as últimas semanas, pois a governista União Democrata-Cristã (CDU) não quis assinar a declaração com o partido A Esquerda, composto por antigos comunistas e dissidentes social-democratas. Além disso, quatro dos grupos parlamentares - União Social-Cristã da Baviera (CDU-CSU), os social-democratas (SPD), os liberais (FDP) e os Verdes- assinaram um acordo, o qual também recebeu o apoio do A Esquerda, apesar de 11 de seus deputados terem se abstido da votação. O porta-voz de política interna da CDU-CSU, Hans-Peter Uhl, criticou no Parlamento que A Esquerda tolere anti-semitas em suas fileiras há anos e criticou a deputada Ulla Jelpke por ter se manifestado anteriormente contra Israel. Quem participa dessas manifestações, nas quais são queimadas bandeiras de Israel e pronunciadas frases anti-semitas, não pode ser um parceiro na luta contra o anti-semitismo, acrescentou. Os cinco grupos co...

EFE |

200 templos foram destruídos, aproximadamente 100 judeus morreram e outros 30 mil foram detidos e levados a campos de concentração.

Entre janeiro e setembro deste ano, a Polícia registrou na Alemanha 800 crimes anti-semitas que feriram 27 pessoas. Nesses nove meses foram abertas diligências contra 471 suspeitos, e quatro deles foram detidos. EFE nvm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG