Parlamentares ignoram festa de Ahmadinejad

Mais de cem parlamentares aparentemente ignoraram um convite para comemorar a vitória eleitoral do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, de acordo com a imprensa iraniana. Todos os 290 parlamentares do país foram convidados para o evento, na noite de quarta-feira, mas 105 não apareceram, dizem os meios de comunicação.

BBC Brasil |

O repórter da BBC em Teerã, Jeremy Bowen, disse que a ausência dos políticos é um sinal da profunda divisão na elite que lidera o país depois da controvertida eleição presidencial.

Prisões
O website do candidato derrotado por Ahmadinejad, Mir Hossein Mousavi, disse que 70 acadêmicos foram presos depois de se reunir com o oposicionista. Mousavi era um dos principais líderes dos protestos contra os resultados das eleições presidenciais.

Acredita-se que centenas de manifestantes e ativistas da oposição foram presos e pelo menos 17 pessoas morreram nos distúrbios que se seguiram ao pleito, no dia 12 de junho.

Há notícia de que, na noite de quarta-feira, forças do governo voltaram a confrontar manifestantes que desafiaram decretos do governo para suspender atos públicos nas ruas centrais de Teerã.

Testemunhas dizem que policiais bateram nos manifestantes com cassetetes, usaram gás lacrimogêneo e atiraram para cima para dispersar a multidão.

Severas restrições ao trabalho da imprensa no Irã impediram a BBC de confirmar a veracidade destes relatos.

Contestação
A oposição iraniana disse que vai continuar a contestar na Justiça o resultado da eleição, que declarou Ahmadinejad vitorioso. Mas Bowen disse que os políticos estão ficando sem opções sobre a quem recorrer.

O Conselho dos Guardiões, que supervisiona as eleições, vai dar um veredicto final sobre o ocorrido no domingo mas há expectativa de que siga a linha do líder supremo aiatolá Khamenei, acrescentou o repórter da BBC.

Khamenei endossou vitória de Ahmadinejad.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG