Paris, 22 ago (EFE).- A França lembrou hoje à Rússia os limites das medidas adicionais de segurança pactuadas no acordo de cessar-fogo com a Geórgia, e a necessidade de que se garanta a liberdade de circulação nos eixos viários e ferroviários do país.

"Nos mantemos atentos a respeito dos compromissos assinados e reiteramos nosso pedido às autoridades russas para que os ponham em prática sem demora", disse o porta-voz adjunto do Ministério de Exteriores da França, Frédéric Desagneaux.

Enquanto a Rússia prometeu finalizar a retirada de suas tropas da Geórgia hoje, um de seus chefes militares fez referência a planos de estabelecer postos militares adicionais para as tropas de paz russas entre o território administrado por Tbilisi e as regiões separatistas da Ossétia do Sul e da Abkházia.

Em entrevista coletiva em Moscou, o chefe adjunto do Estado-Maior russo, Anatoli Nogovitsin, disse que o estabelecimento dessa zona de segurança é "legítimo", e que a Rússia não tem que pedir permissão à Geórgia para isso.

Perguntado sobre esses postos e o plano de Moscou de manter, após sua retirada, o controle de uma estrada estratégica entre a capital georgiana e o Mar Negro, o porta-voz francês respondeu que é preciso se ater aos termos do acordo de 12 de agosto e aos da carta posterior do presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Nessa carta se precisavam "as medidas adicionais de segurança" que, após a retirada, as "forças russas de manutenção de paz" aplicariam, à espera de um mecanismo internacional.

O porta-voz francês lembrou que as "medidas adicionais de segurança" previstas pelo acordo de cessar-fogo, mediado pelo presidente francês e da União Européia (UE), só poderão ser aplicadas nas "proximidades imediatas" da Ossétia do Sul, dentro de uma zona de apenas alguns quilômetros entre o limite administrativo dessa região e o resto da Geórgia, e que não inclua centros urbanos.

Segundo ele, devem ser definidos compromissos para "garantir a liberdade de movimento e de circulação ao longo dos eixos viários e ferroviários da Geórgia".

As "medidas adicionais de segurança" tomarão a forma de "patrulhas efetuadas somente pelas forças russas de manutenção da paz ao nível autorizado pelas regras existentes", indicou o porta-voz de Exteriores, ao lembrar que o resto das tropas deve retirar-se a suas posições anteriores à explosão das hostilidades.

Além disso, assinalou, estas medidas terão caráter "provisório", à espera que se estabeleça o mais rápido possível o "mecanismo internacional" cuja "natureza e mandato" estão sendo negociados em diversas instâncias, como a ONU, a UE e a Organização de Segurança e Cooperação na Europa (Osce). EFE ao/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.