Paris inicia campanha para acabar com 2 milhões de ratos

A Secretaria de Segurança Pública de Paris iniciou nesta terça-feira uma ampla operação de desratização da cidade. Estabelecimentos comerciais, indústrias, proprietários de prédios e também inquilinos têm o prazo de dois meses para acabar com os roedores, caso contrário terão de pagar multas que variam de 90 a 750 euros (de R$ 235 a quase R$ 2 mil).

BBC Brasil |

A prefeitura de Paris estima que existam 2 milhões de ratos na capital francesa, o que corresponde a um animal por morador da cidade.

Uma campanha de informação com pôsteres foi lançada para convencer os parisienses a colocar veneno em locais estratégicos, limpar seus lixos e fechar hermeticamente seus porões e buracos no chão desses locais.

Reprodução
Os ratos não são comuns apenas em estações de metrô. Eles também podem ser vistos em prédios de escritórios mais modernos, cinemas e também em bares e restaurantes elegantes de Paris.

"Devemos atacar os ratos nesta época de primavera, que é o período propício para a reprodução dos roedores", afirma Catherine Perry, diretora-adjunta dos serviços veterinários da Secretaria de Segurança Pública de Paris.

"Esses animais são sujos e transportam bactérias e germes e, o que é pior, transmitem leptospirose", diz Perry. Anualmente, dezenas de franceses são contaminados pela doença, que causa febres e dores musculares e nas articulações e que pode matar se não for tratada.

Os moradores e empresas de Paris têm o prazo até 27 de junho para acabar com os ratos em seus prédios. As pessoas também devem alertar a polícia sobre os locais em que os roedores são vistos. O objetivo é localizar as áreas onde podem existir ninhos do animal.

Demolição
É possível constatar a presença de ratos até mesmo em um grande supermercado de Paris, em um bairro central da cidade. E um verdadeiro "viveiro", com dezenas de grandes roedores, em uma pequena área de terra em frente a um restaurante conhecido da capital.

Atualmente, uma rede de supermercados populares reconhece que é difícil enfrentar o problema da invasão de roedores em várias unidades da empresa em Paris, onde já foi detectada a presença dos animais inclusive nos estoques.

"Podemos matar dezenas de ratos por dia", afirma um profissional do setor. "Em alguns prédios seria preciso destruir o imóvel e reconstruí-lo para realmente conseguir desratizar."
Um conjunto residencial no 19° bairro de Paris, no norte da capital, foi recentemente invadido por centenas de ratos, depois que obras foram realizadas na região. Os moradores alegam ter informado as autoridades competentes durante meses, mas dizem que o problema continua.

Os franceses fazem uma distinção entre ratos e camundongos e, normalmente, não consideram que os pequenos roedores, os camundongos, representem um perigo à saúde.

Muitos vêem os camundongos até com certa "simpatia" e quando encontram o animal em casa, nem o matam, apenas o soltam na rua.

Após o lançamento do desenho animado Ratatouille, que foi um sucesso de bilheteria na França, os ratos se tornaram um "fenômeno de moda".

Muitos franceses, que apreciaram as aventuras do ratinho cozinheiro, compraram ratos como "animal de companhia".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG