Paris Hilton testemunha em julgamento por suposto descumprimento de contrato

Miami, 10 jul (EFE).- Paris Hilton testemunhou hoje em seu julgamento, em um tribunal de Miami, por um suposto descumprimento de contrato e disse que divulgou o filme Pledge This!.

EFE |

Com um vestido preto sem mangas, sapatos plataforma e um cinto na mesma cor, Paris compareceu diante do juiz Federico Moreno, que preside o caso apresentado pela Worldwide Entertainment Group (WEG) que pede uma compensação de US$ 8 milhões.

Quando Moreno a chamou à tribuna, a célebre herdeira do império Hilton caminhou em direção ao palanque movimentando seus quadris e cumprimentou o magistrado com a mão.

"É a primeira vez em todos meus anos de juiz que alguém me cumprimenta com a mão", disse Moreno, surpreso.

Durante o segundo dia do julgamento, Hilton se olhou em seu espelhinho pelo menos quatro vezes e aproveitou que o juiz demorou a reiniciar a sessão para retocar a maquiagem de seus olhos e lábios.

Paris, de 28 anos, também se distraiu com a leitura de um livro fúcsia, enquanto esperava o retorno do juiz.

Em seu testemunho afirmou que tinha promovido o filme em todos os eventos que pôde, incluindo tapetes vermelhos, almoços e jantares com pessoas interessadas em comprar o filme, em apresentações diante dos fãs e entrevistas.

"Quando estou envolvida em algo, quero que seja bem-sucedido", afirmou Paris, que protagonizou o filme.

Os advogados da ação alegam que Paris, durante seis meses, não estava disponível para realizar uma entrevista por telefone de dez minutos para promover o filme.

Michael Weinstein, defensor de Paris, insistiu em perguntar qual foi sua participação e ela respondeu que esteve permanentemente divulgando o filme.

As perguntas se centraram no período de divulgação entre o dia 15 de dezembro de 2006 e maio de 2007.

Weinstein perguntou qual foi sua rotina em dezembro de 2006 e ela disse que viaja mais que uma aeromoça. "Vivo no avião e nessa ocasião fui ao Japão, depois à África", afirmou a herdeira Hilton.

Acrescentou que no período mencionado não teve férias, só dois dias de descanso no Natal e depois foi para a Austrália.

Paris também disse que quando esteve no Japão tinha um contrato com a Motorola e que isso a impediu de promover o filme.

O advogado Michael Goldberg, designado pela WEG, disse que perdeu dinheiro com o filme por causa de Paris, que não esteve disposta a participar dos eventos de divulgação depois da estreia do filme. EFE ef/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG