Paris diz ter certeza de que destroços são do Airbus

Paris, 3 jun (EFE).- As autoridades francesas afirmaram hoje que não há mais dúvidas sobre o fato de que os destroços encontrados no Atlântico pertencem ao avião da Air France desaparecido na segunda-feira passada.

EFE |

Um porta-voz do Estado-Maior do Exército francês explicou que, embora seja preciso fazer "uma confirmação formal" quando estes destroços forem resgatados, já não há espaço para dúvidas sobre o assunto.

Acrescentou que um avião militar francês de patrulha marítima sobrevoou nas últimas horas a região onde o Exército brasileiro localizou o que parecem ser partes do Airbus A330 que cobria a rota de Rio de Janeiro a Paris.

Hoje está previsto que outros aviões sobrevoem a mesma área, entre eles uma aeronave francesa Awacs que tentará determinar o lugar exato no qual o avião poderia ter caído para buscar as caixas-pretas, segundo o Estado-Maior do Exército.

Se for confirmado que a aeronave desaparecida caiu no mar onde os fragmentos foram localizados, a recuperação das caixas-pretas será complicada, já que o fundo marítimo se encontra a entre 2.500 e 3.500 metros, e o sinal que estas emitem durante aproximadamente 30 dias poderia ser difícil de detectar.

Um navio militar francês já navega nessa direção e chegará no final de semana com o submarino articulado "Nautile", que pode operar com três membros da tripulação, mas em movimentos limitados de seis a sete quilômetros por dia.

No aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, dezenas de familiares dos ocupantes do aparelho continuam esperando por notícias, protegidos por um grande dispositivo policial para manter a privacidade.

Esta tarde, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, participará de uma homenagem religiosa ecumênica aos 228 ocupantes do avião, que será realizada na catedral de Notre Dame de Paris.

Duas horas antes dessa homenagem, programada para as 16h locais (11h de Brasília), a Grande Mesquita de Paris, em coordenação com o Conselho Francês do Culto Muçulmano, realizará uma oração em lembrança das vítimas. EFE ac/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG