Paris confirma seqüestro de veleiro francês diante do litoral da Somália

Paris, 3 set (EFE).- O Governo de Paris confirmou hoje o seqüestro de um veleiro com dois franceses a bordo por piratas no golfo de Áden, diante do litoral da Somália.

EFE |

"A França condena firmemente este ato de pirataria e pede a libertação imediata de duas pessoas retidas no veleiro. Nossa primeira preocupação é com a segurança de nossos compatriotas", diz um comunicado do Ministério de Assuntos Estrangeiros francês.

Após confirmar que um veleiro com dois franceses "foi alvo de um ato de pirataria no golfo de Áden", a nota dizia que o Ministério de Exteriores "se mobilizou em Paris e através de suas embaixadas na região, em colaboração com outras administrações competentes, para conseguir a libertação" das duas pessoas.

O ministro de Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner, pediu a ativação imediata do centro de crise do Ministério, que realizou uma reunião na manhã de hoje para examinar a situação, diz o comunicado.

Além disso, o departamento de Exteriores desaconselha toda navegação turística no golfo de Áden.

Na mesma nota, o Ministério lembra que em 2007 foram registrados 263 atos de pirataria, trinta deles diante do litoral da Somália.

Em abril passado, 30 tripulantes do veleiro de luxo Le Ponant ficaram seqüestrados durante uma semana diante do litoral da Somália.

Os tripulantes - 22 deles de nacionalidade francesa - foram libertados após o armador do navio pagar um resgate de US$ 2 milhões aos piratas, dos quais seis acabaram detidos pelas forças especiais francesas.

"A luta contra a pirataria marítima é uma das prioridades da França", diz o comunicado, que lembra que este assunto foi alvo de várias iniciativas na União Européia e na ONU, onde no dia 2 de junho se adotou uma resolução sobre o assunto no Conselho de Segurança. EFE pdp/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG