Paris condena golpe de Estado em Honduras

A França condenou neste domingo em comunicado o golpe de Estado em Honduras, e pediu que a democracia seja restabelecida o quanto antes.

AFP |

"A França condena com a maior firmeza o golpe de Estado que acaba de acontecer em Honduras. A ordem constitucional deve ser restabelecida o quanto antes", declarou o porta-voz da chancelaria francesa, Eric Chevallier.

"A França pede a todas as partes envolvidas que atuem no respeito dos princípios e valores da democracia, pois o futuro de Honduras é indissociável da democracia e qualquer evolução contrária às suas normas constituiria um grave recuo para este país", acrescentou.

O porta-voz também ressaltou que "a detenção e a expulsão de representantes diplomáticos constituem uma grave violação da convenção de Viena, e são inadmissíveis". De acordo com uma fonte diplomática francesa, os embaixadores de Cuba, Nicarágua e Venezuela teriam sido afetados por estas medidas.

O presidente de Honduras, Manuel Zelaya, e pelo menos oito ministros foram detidos. Zelaya foi levado à força para a Costa Rica por militares.

Eleito em janeiro de 2006 para um mandato de quatro anos sob a bandeira conservadora, Zelaya passou em seguida para a esquerda, aproximando-se de seus colegas de Nicarágua e Venezuela. Ele organizou uma consulta popular para emendar a Constituição com o objetivo de poder disputar, em novembro, um segundo mandato presidencial.

phr/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG