O ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, afirmou nesta terça-feira que a França apoia "plenamente as providências" do presidente brasileiro, que visitará o Irã no dia 16 maio, de pedir a Teerã que aceite negociar uma troca de seu combustível nuclear." /

O ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, afirmou nesta terça-feira que a França apoia "plenamente as providências" do presidente brasileiro, que visitará o Irã no dia 16 maio, de pedir a Teerã que aceite negociar uma troca de seu combustível nuclear." /

Paris "apoia" os passos do presidente brasileiro em relação ao Irã

O ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, afirmou nesta terça-feira que a França apoia "plenamente as providências" do presidente brasileiro, que visitará o Irã no dia 16 maio, de pedir a Teerã que aceite negociar uma troca de seu combustível nuclear.

AFP |

O ministro francês das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, afirmou nesta terça-feira que a França apoia "plenamente as providências" do presidente brasileiro, que visitará o Irã no dia 16 maio, de pedir a Teerã que aceite negociar uma troca de seu combustível nuclear.

"O presidente Lula é sincero em sua vontade de diálogo. Saúdo sua determinação em favor da paz, pelo que respeitamos e apoiamos as medidas tomadas", declarou Kouchner à AFP.

"Trabalhamos todo o tempo com os iranianos, até agora sem resultados palpáveis. Desejamos que o presidente Lula tenha mais sorte", acrescentou, destacando que Paris trabalhava "muito estreitamente" com seus "parceiros brasileiros nestas circunstâncias".

No início de maio, o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad havia aprovado uma proposta brasileira de acolher em seu território uma troca de urânio destinada ao Irã.

Os países ocidentais e o Irã divergem há meses sobre a liberação de urânio altamente enriquecido do qual Teerã precisa para seu reator experimental, em troca de urânio levemente enriquecido.

No final de abril, o chefe da diplomacia brasileira, Celso Amorim, havia declarado a Teerã que seu país estava pronto a examinar uma troca em seu território. Mas o presidente Luiz Inacio Lula da Silva descartou logo a ideia, explicando que, para isso, existiam "locais mais próximos do Irã".

O presidente brasileiro visitará Teerã entre os dias 16 e 17 de maio.

O Brasil e a Turquia se opõem a novas sanções contra o Irã, exigidas pelas potências ocidentais da ONU que criticam Teerã por querer dotar-se de armamento nuclear, o que o Irã desmente.

jlv-sb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG