Parentes pedem que Farc digam quais reféns libertarão

Bogotá, 13 jan (EFE).- Os parentes dos 26 militares e policiais que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) têm em cativeiro pediram hoje ao grupo armado que dê a identidade dos três policiais e do soldado cuja libertação anunciaram junto com a de dois políticos sequestrados.

EFE |

Fabiola Monsalve, mãe do sargento César Augusto Lazo, sequestrado há 11 anos pelas Farc, destacou os avanços que se alcançaram para a libertação de seis reféns dos mais de 700 reféns que se estima que as Farc mantenham sob seu poder.

"Queremos saber quem vêm e quem vai ficar, pois a incerteza é grande", disse, lamentando que há seis anos não recebe provas de vida de seu filho.

Jenny Mendieta, filha do general da Polícia Luis Mendieta - oficial de mais alto categoria sequestrado-, considerou que a libertação é o "preâmbulo" de uma troca humanitária e indicou que seu pai pode estar entre os seqüestrados que as Farc planejam entregar.

Por sua parte, Claudia Rugeles, mulher de Alan Jará, ex-governador do departamento (estado) de Meta, um dos dois políticos que as Farc dizem que pretendem soltar, classificou como "muito boa" a decisão do Governo de autorizar o Comitê Internacional da Cruz Vermelha a contratar helicópteros e equipes no exterior para a libertação.

Além de Jara, as Farc anunciaram a entrega do ex-deputado Sigifredo López, três policiais e um soldado, não identificando estes quatro últimos. EFE fer/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG