Parentes dos McCann relembram um ano de desaparecimento da menina inglesa

Lisboa, 3 mai (EFE) - Parentes do casal McCann lembraram hoje o desaparecimento da pequena Madeleine, há exatamente um ano, na região de Praia da Luz, em Algarve (sul de Portugal), com uma missa na igreja que costumava ser freqüentada pelos pais da menina inglesa. O tio paterno da menina, John McCann, participou de uma missa na igreja de Praia da Luz, mas, como estava previsto, os pais de Madeleine não participaram do culto. John McCann justificou a ausência dos pais da menina inglesa, ao afirmar que o local traz ao casal muitas recordações da tragédia vivida no ano passado. O tio assegurou que os progenitores de Madeleine queriam viajar para Portugal, mas que seu retorno a este lugar seria como voltar a seu pior pesadelo. Ele apontou que a família é otimista sobre o desenlace do caso, e acredita que Madeleine finalmente será achada. A igreja, onde o casal McCann orava diariamente entre os meses de maio e setembro do ano passado, foi cenário de uma emotiva cerimônia que lembrou o caso ainda não esclarecido e que chamou a atenção do mundo. Patricia, a irmã do pai do Madeleine; o marido dela e um primo da mãe da criança, Michael Wright, também estiveram presentes no ato celebrado pelo pároco local José Pacheco e pelo pastor anglicano Haynes Hubbard. O rapto ou a possível morte de Madeleine são as duas hipóteses investigadas sobre o paradeiro da menina inglesa, que continua sem solução pela Polícia portuguesa, que mantém os pais como suspeitos...

EFE |

O até então coordenador do processo da PJ, Gonçalo Amaral, criticou em outubro a Polícia britânica por fazer, na sua opinião, "a vontade do casal McCann", o que terminou lhe valendo o afastamento definitivo do caso.

Amaral, defensor da tese que implica os pais no desaparecimento da menina, divulgou recentemente que processará os veículos britânicos que o difamaram.

O diretor nacional da PJ, Alípio Ribeiro, reconheceu em fevereiro passado certa precipitação ao apontar os McCann como suspeitos formais, afirmação que criou mal-estar entre seus subordinados.

Os pais de Madeleine disseram hoje em entrevista que estão dispostos a voltar a Portugal para ajudar a resolver o caso. EFE arm/iw/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG